Site de Poesias

Menu

Ninho de Poesias

[Ilustração não carregada]

 Bela fêmea,
 com sua beleza despertando
 a força masculina
 para o lado sublime da existência.
 E o mundo sensitivo
 nunca foi tão rico
 e os sentidos nunca
 haviam captado
 com tanta intensidade.
 E o sonho encheu a realidade
 com sua névoa onírica.
 Na memória a imagem
 fixa daquele olhar.
 Nunca teve
 tanta noção de si,
 nunca esteve
 tão perdido de si.
 Não se entende,
 mas sente-se seguro.
 Têm visões imaginárias
 que o levam para o paraíso
 que está oculto
 no fundo do horizonte.
 Nunca o mundo
 havia estado tão vivo.
 As páginas em branco
 recebem a pintura das letras.
 A caligrafia desliza suave
 e cheia de energia,
 despojada de tudo,
 mas sentindo-se
 possuidor do mundo.
 

Compartilhar
Gilberto Brandão Marcon
09/02/2014