Site de Poesias

Menu

Dá-me asas

[Ilustração não carregada]


Estão querendo me tirar o chão...

Já perdi tudo e nada mais me resta, não...

Exausta e cansada, tenho clamado dia e noite!

Não nasci para essa vida...

Não nasci para esse mundo...

Preciso de algo profundo...

Com certeza viver noutro mundo...


Passei por tempestades...

Naufraguei em alto mar...

Andei pelo deserto...

Tão sedenta e fugitiva

Como alguém que não tem lar...


Como vão entender?

Nesse mundo de normalidades insensíveis...

Almas cegas...

Mente parca...

E corações miúdos?


Como vão entender?

Em suas visões com cegueira diurna,

Divisam o óbvio.

Não distinguem a imagem que sangra...

As cores sombrias...

Pinceladas que contam...


Como vão entender aqueles cujo ouvido não lê?

Latejando, as letras incham e desincham,

Ricocheteiam entre as margens virtuais

Fazendo estrondo em silêncio ensurdecedor...


Gritos espremidos nas paredes corpóreas

Matam as células,

Sufocam o ar,

Assassinam a vida vermelha

Tornando-a vazia e cinza...

Gótica...


Como vão entender?

Se gelo, vulcão

Nunca foram ou são?

Precisariam vestir essa pele...

Necessitariam sentir nessa carne...


Querem me tirar o chão...

Deus, dá-me asas pra voar!!!

 

 

 
 
 

Compartilhar

Artur Nogueira, SP - 02/01/2014

Rosely T. Sales
02/01/2014