Site de Poesias

Menu

Amor e Câncer - Soneto

Uma doença sem cura
Diagnosticada pela força do amor
Pensava estar curado
Respirava então aliviado
Das dores que o passado me feriu
Da paixão que aos poucos me matava.
Seus olhos nos meus
Um cálice de veneno
Nas sombras de minha ignorância
Saboreei com deleite.
Este amor está morto! Pensei
Dormindo apenas estava
Despertou faminto feito um mendigo
Devora aos poucos minha alma. 

Compartilhar
Renato Alves
11/06/2013