Site de Poesias

Menu

imPerfeição

Eu abro os meus braços

Para abraçar o nada

Só para sentir o calor

Dessa noite gelada

 

Converso com a fala pensada

Reflito sobre o futuro passado

Sobre a história não contada

De alguém que ora calado

 

Eu desato os laços

De um nó desatado

Na garganta a falar

Palavras sem significado

 

Converso com vontade

Reflito sobre o passado futuro

Sobre incontadas verdades

Brilhando em meu lado obscuro

 

E eu desfaço o que faço

Refazendo os meus defeitos

Com meticulosidade imensurável

 

Aperfeiçôo a minha conversa 

Sanando a minha insensatez

Equilibrando-me nessa emoção instável

Compartilhar

Guarulhos-SP

Rodrigo Ferreira Santos
04/06/2012