Site de Poesias

Menu

Dueto 37º Ciganita e Bruno..Uma poesia inteira.

[Ilustração não carregada]

 
 
Um poesia inteira
 
O sol que me referia era o sol da meia-noite.
A lua que nascia de dia, ao meio-dia.
E a vida que sempre seguia pela meia curva
Seguia por direções distantes meio inconstante.
Soraia
 
É esse que eu quero ser, sol da noite,
Lua do dia, água, brisa, maresia,
Nuvens de vento, raio de sol, a chuva,
Um gosto da poesia ser um acompanhante.
 Bruno
 
Quase alcancei voos primaveris…
No inverno fiz uma pauta meio alta
E renovei meus amores e os quase amores.
Não os esqueci isso é fato meio delato.
 Soraia
 
 Alcançaste o voo! E eu evitei pessoas vis,
Tenho todas as estações, nada me falta,
Tenho todos os sons e todas a cores,
Tudo faz parte de mim, é um facto.
 Bruno
 
Entendi que a vida vem meio rapidamente.
Podemos fazê-la quase devagar pelo ar.
Pelas metades ou quase inteira brindo
Brindo meios versos quase prontos.
 Soraia
 
 Vem quando a deixas vir consciente,
Passamos ora depressa, ora devagar,
Inteira é verdadeira, pela metade evito,
Ainda assim brindo aos buracos.
 Bruno
 
Lanço-te desafios com meias palavras.
Espero quase sempre tua resposta.
Ela vem atravessando meio mundo.
Quase a tempo de me alcançar...
 Soraia
 
Aos desafios envio as minhas respostas,
E olha que já vamos nas quarenta,
Atravessa devagar sem perder um segundo
E ainda te apanhar a tempo de dançar.
 Bruno

 

Compartilhar

Voltando com mais um dueto..
Voltando ao site..... por ai.

Ciganita
29/07/2011