Site de Poesias

Menu

A Canção das Coisas

Canção do mundo inteiro
Na flor que o passarinho
Beijou e enfeitiçou.
No canto do aguaceiro
Silvando no caminho,
O mundo ressoou.
Canção de toda a Terra
Nas vozes das sereias
Chamando o pescador.
O vento lá na serra,
Que a mata assim permeia,
Entoa o puro amor.
Canção de toda a gente
No uivo dos coiotes
Banhados de luar.
No ciclo da semente
De vida após a morte,
Há ópera sem-par.
No ponto derradeiro
Que o verso não encerra,
Um canto reticente:
Canção do mundo inteiro,
Canção de toda a Terra,
Canção de toda a gente... 

Compartilhar
Ederson Peka
09/02/2011