Site de Poesias

Menu

Se o silêncio lhe diz

[Ilustração não carregada]

-SENTADA ABSORTA À SUA ESPERA...
-TOLA!
-QUISERA ENTENDER AS RAZÕES DO AMOR...
-TOLA!
-QUERIA, ENFIM, DISPERSAR OU DISSECAR MINHA DOR.
-TOLA, TOLA, TOLA!
 
(NASCE UM RIO,
NASCE E DESÁGUA NA CORRENTE.
SEGUE SEU CURSO LEVANDO AS FLORES
E TUDO QUE RONDA OS AMORES.
NESSAS ÁGUAS, O ENCANTO SE VAI
MANSINHO,
TOMAR ALGUM RUMO,
O PRUMO DE OUTRO PEITO QUALQUER)
 
-SENTADA, FAÇO-LHE VERSOS FRANCOS E RAROS...
-POR QUÊ?
-COMO SE CADA PEDAÇO FOSSE UM BEIJO...
-POR QUÊ?
-COMO SE O DIA FOSSE UMA DOCE ESPERA.
-DIGA-ME, POR QUE, MULHER?
 
(SE O RIO CIRCUNDASSE A SUA VILA,
O CURSO DESSA HISTÓRIA NÃO TERIA FIM.
E AS ÁGUAS DESENHARIAM UMA LUA
PRA VOCÊ
TODA NUA,
CHEIRANDO A UM IMPREGNANTE JASMIM)
 
-SENTADA FICO E A JANELA SE ABRE AO SUL...
-VÁ!
-ESCUTO O RIACHO CHORAR COMO UM DRAMA QUE AFLIGE OS OLHOS...
-VÁ!
-NADA ME IMPEDE DE VOAR E CRER NA REDENÇÃO.
-SE VEM ME OUVINDO, VÁ, MULHER, VÁ!
 
(EU QUERO AMAR...
E JÁ NÃO IMPORTA SE VOCÊ NÃO QUER.
MEU PEITO ESTÁ CHEIO
E EU QUERO EXPLODIR DE AMOR.
EU QUERO,
ANTES DO FIM,
DE QUALQUER FIM,
RESPONDER A MIM
O QUE É,
EXATAMENTE,
ESSE dEUS,
QUE ME REGEU POR TODA A VIDA
SEM NUNCA SE EXPLICAR.
QUERO VÊ-LO DISSECADO
E, NUM DELÍRIO, TRADUZIDO
EM DIALETOS, IDIOMAS
E SINAIS DE FUMAÇA)
 
-SE O SILÊNCIO LHE DIZ ISSO, VÁ!
VOLTANDO VIVA,
AÇOITE-ME COM TAIS VERDADES,
POIS, DE ONDE ESTOU,
DO ALTO DE ALGUMA ARROGÂNCIA
OU DAS PROFUNDEZAS DA COVARDIA,
SEI LÁ!,
NADA POSSO FAZER,
SENÃO MENOSPREZAR
A MAGNITUDE DESSE SENTIMENTO
MIRACULOSO
E A PUREZA ANGELICAL DA SUA ALMA.
 
 
Soraia Santiago e Francisco Abel Mendes d`Almeida, 2011.

Compartilhar

Cantou pra mim...

"...Não me interessa o cais. Nem quero mais chegar. Eu viajo pelo viajar..." (Fernando Brant)

http://www.facebook.com/p...
http://www.linkedin.com/p...
http://www.bardotvinhosea...

Na foto, Abel. Rio de Janeiro

Francisco Abel Mendes d`Almeida
& Ciganita
24/01/2011