Site de Poesias

Menu

Tempos...

[Ilustração não carregada]

 

Tempos...

 

 

Dei tempo pra que o tempo pudesse

Me dar tempo para me conduzir

Dei tempo para que caso eu quisesse

Me refazer ao invés do me reduzir.

 

Gritei aos amores que eu estava despoetizado

Queria me sentir um pouco mais superficial

Como são as propagandas de um comercial

Alguns me olhavam e falavam: Irado! Irado!

 

E por mais que eu não seja o melhor produto

Ainda sim joguei meus valores pro alto

Quem me via, não me achava tão barato

Porém realmente, eu não seja'sim tão enxuto.

 

Ora, de vez em quando um faz de conta

Na realidade, faz histórias tão reais

Que a vida dá chances para certas mentiras

 

Eu não sou feito com tecnologia de ponta

Mas sacrifico coisas para os meus ideais

A burocracia nunca se importou com minhas iras.

 

Eu ainda tenho esse slogan freudiano pro mundo

Mas eu me vejo mais como um relógio que pensa

Estou sempre me atentando para a relatividade geral.

 

Eu amo, e amor por mais que seja piegas e profundo

É característica minha, inflamável e intensa

Eu também penso e ando hereto, mas amo, eu, divino animal.

 

Compartilhar

Joguei uma pedra para o alto de forma que caisse na minha cabeça, e aproveitei esse tempo para fazer o que a pedra não faz, que era me machucar! Guarulhos-SP

Rodrigo Ferreira Santos
29/03/2010