Site de Poesias

Menu

OPERÁRIO PADRÃO

 
O sol,
solda forte, castiga o pobre
que trabalha quebrando a pedra
O sol ácido derrete o olhar faminto
e as salamandras da náusea se esparramam no tédio.
O sol
corta ferramenta bruta
mísero salário não mata fome.
Em casa a família esquálida disfarça a carência
nos buracos dos dentes amarelos
enquanto o tempo escorre úmido na distância periférica.


Benedito C. G. Lima

Compartilhar
benedito c.g.lima
19/01/2010

  • 0 comentários
  • 371 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados