Site de Poesias

Menu

Cabeças Nervosas

Dias remotos na nossa cidade

vivendo em outros mundos

com outraz desigualdades

Atraz das armas

eu busco a minha paz

buscando um novo rumo

para viver uma vez mais

Grandes cabeças

fazem grandes extragos

a nossa salvação ta andando do outro lado

Grandes ideias

de uma cabeça nervosa

destruindo o novo mundo de raiva

O jovem garoto

acha tudo ``maneiro´´

mas no final das contas fica com o dinheiro

Então é esse o futuro

que vão dar para os seus filhos

a ordem é progreso estão por fora dos trilhos

Eu não sou poeta

mais não sou meliante

sou apenos um garoto sonhando com um futuro distante.

 

 

 

Compartilhar

Outro dia eu estava vendo um documentario que retratava a vida das pessoas na favela,é resolvi alterar um pouco o estilo poetico para um mais atual...espero que gostem.

Thiago Gomes
03/01/2010