Site de Poesias

Menu

Ciranda Louca

[Ilustração não carregada]

Minha volta-e-meia eu dou
Nessa "ciranda de louco".
(Já que o anel não se quebrou,
E o amor nunca foi pouco.)

Mesmo sem verso bonito
Pra poder entrar na roda,
Exijo que seja dito:
-Não é hora de ir embora!

Eu não quero ouvir adeus,
Que a ciranda vai seguindo
E esta, enfim, é minha vez:

-Queridos, a voz de Deus
Recita o poema mais lindo
Nesta união de vocês! 

Compartilhar

Na nossa "ciranda louca", nenhum anel se quebrou, nenhum amor se acabou, nenhum adeus foi dito, e ninguém precisou ir embora. Sobrou verso bem bonito; poesia que, quando nasce, espalha rima pelo chão.
(E o Peka, quando sonha acordado, suspira de gratidão.)

Agradeço muitíssimo a todos por tanto carinho; eu definitivamente não mereço. Não dá pra citar os nomes, mas apreciei a participação de cada um. Vocês me surpreenderam e me emocionaram. Sou grato e feliz por conhecer vocês.

Um abraço!

(Foto de milivoj no flickr: http://www.flickr.com/pho... )

Ederson Peka
& ... Ciranda de Aniversário ...
22/11/2009