Site de Poesias

Menu

VEREDAS NO TEMPO

se tudo for nada
eternos recomeços

retornos de jornadas

estradas diversas
janelas no infinito
distâncias tão pertas

caminhar caminhos
conhecidos esquecidos
em erros pelos acertos

larvas em borboletas
casulos embriões
úteros renascimentos

alentos sofrimentos
lágrimas e sorrisos
lições reaprendidas

vidas nas veredas
tempos imemoriais
imersões e viagens

personagens viventes
inúmeras histórias
crianças aprendizes...

Compartilhar
EDILOY A C FERRARO
11/10/2009