Site de Poesias

Menu

Orvalho de Lágrimas

A doce e meiga luz da lua toca meu rosto
Aliviando meu sofrimento e minha dor
De vagar por este mundo,
Sem provar o gosto do amor.
Posso viver mil anos
Ser um Deus, um imortal
E de nada valerá esta vida,
Se não puder conquistar um sentimento natural.
Ao menos ouvir uma frase:
Eu te amo como tu me amas, meu amor.
Para alguns são apenas palavras
Para poucos, que nunca as ouviram, são dádivas.
...
Os dedos árduos do sol tocam meus olhos
Enxugando meu orvalho de lágrimas
O dia despertou...
E com ele vivo o sonho que restou.

Compartilhar
Renato Alves
23/09/2009

  • 4 comentários
  • 1312 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados