Site de Poesias

Menu

A dança dos derviches

[Ilustração não carregada]

Viver no limite.
profundas do inferno.
bas-fond.
eu e mundo somos um.
Blasfêmias e cautelas.
pedaço de mim rolou pelo asfalto.
Música abissal.
Anterior a tudo.
Minha dança é  não dança.
entrega que vitupera.
Escandalous, entre olhares indescritos,
Remuel sofreu dores.
pouco de mim, hoje, morreu.
Secretamente, oiço onça.
Alguavear nau não navegae?
Paz, George Michael.
Anjos te levarão para o Oceano.
voz é mais que voz.
eternidade som que é todos.
Espectro de mim rola na areia.
espaços se tornaram resquício de nada.
Mais um passo, e outro espaço
triângulo que desenha, com a dança,
será nada mais que fim, de tudo. É.
Espero.
espera é como corvo, escuro, calada da noite.
bailar.
passo e outro.
Despedaço.
coração resiste?
toque.
coração expressa o que sinto?
No Ponto Final, há suspiro e morte.
Não vou lá, espero.
Amanhã, é outro dia.
Será?
Onde está susto, vida?
Silêncio.
Esta noite.
Tonight.Very well.
grito é freedom.
Não vou soterrar idéias sobre conformidade do mundo.
Sou só.
Sigo.
Não me vendo.
Não relaxo.
Não abdico.
Não fico.
Eu.
Woodstock.
My brother.
Belos dias, belas noites,
em que sentimos perfume das borboletas azuis.





 

Compartilhar

Sobre a vida. Fonte: http://www.bugbios.com/ce... .

Claudio Antunes Boucinha
10/06/2009