Site de Poesias

Menu

Entre dois mundos

[Ilustração não carregada]



Qual desses mundos?
produção mundial de alimentos... não comestíveis?
cruenta batalha... dos frangos... pela vida?
carne flagelada... dos porcos?
montanhas... de carne?
Everest... é aqui!
Grito (Skrik) de Edvard Munch.
mugido desesperado e solidário da rês.
Estudo Psiquiátrico... dos frigoríficos.
fascismo e o nazismo... dos golfinhos.
Santa Inquisição... dos Congros.
Intolerância... dos Linguados.
crimes dos líderes... dos pintinhos dos criatórios modernos.
crimes dos papas... das tartarugas.
massacre... das baleias.
genocídio... dos macacos.
tecnologia de morte... dos três porquinhos.
Meu sangue, teu sangue, nosso sangue, terneirinhos.
“Mi casa, su casa”.
“My house is your house”.
Alquimia bio-tecnológica... dos couros do almíscar.
Ainda existem... gaiolas... no mundo?
que tem de comum aquário e garrafa?
Infectar porquinhos da ìndia, coelhos,
Cachorros, Gatos, transpassados por ética científica?
plantas... não tem sentimentos?
pedras... não choram?
vida ainda vale?
Para que animais?
Quantos equipamentos de tortura ainda serão feitos?
Quantas operações de morte serão denominadas de trabalho humano?
Minha foca, não é sua foca.
Meu mundo, não é seu mundo.
Desperta, corredor.
Antes que seja tarde.
Antes que essa poesia acabe.
Antes que o filme acabe.
E os teus vazios não serão, então,
vazios a serem preenchidos.
Por que será tarde, muito tarde.
Tar...de
tar...
de...
...





 

Compartilhar

Pela liberdade. Para a Soninha de meu coração.

Fonte: http://vidadecamaleao.fil...

Claudio Antunes Boucinha
28/04/2009