Site de Poesias

Menu

Das vezes, em que te vejo, pelas ruas

 

 

 

 

 

 

Você é meu alimento, meu mundo, meu tudo.

 

 

 

NÃO VIVO SEM VOCÊ.

 

 

 

você é o espetáculo do mundo.

 

 

 

Penso, todos os dias, como te encontrar.

 

 

 

e, na tua ausência, relembro flores, caminhadas.

 

 

 

o dia estava só.

 

 

 

choveu.

 

 

 

e meu corpo divagou por ti, insistantemente.

 

 

 

oro por ti, cada momento,

 

 

 

como se fosse, assim,

 

 

 

um cais do porto,

 

 

 

um arremedo, assim,

 

 

 

da vida que pulsa

 

 

 

em cada um de nós. (Para Soninha).

 

 

Compartilhar
Claudio Antunes Boucinha
18/01/2009