Site de Poesias

Menu

da torrente do amor

[Ilustração não carregada]

Há uma biopsia de meu ser.
Recupero, cada momento, como se fosse único.
Relembro, quando abri meu peito,
Escancarei e me entreguei ao coração.
Não restou nada de mim.
E explodi, de paixão.
Iluminei minhas noites, com Elis Regina e norte,
e estanquei, no espaço, junto, eu e você, amando,
o resto que a mim, e o mundo, numa noite,
em Lagoa Vermelha, e o espaço, que nos perdemos,
e pensamos que o mundo poderia ser melhor, sem eu
ou você.
Rasgo tudo, rasgo a mim mesmo.
Eu não existo mais.
Estou perdido.
Para sempre.
Eu te amo.
E não há nada dizer, nesse momento.
 

 

Compartilhar

o significado de minha paixão. Incompreensível, para os mortais. Um beijo, te amo, Soninha. Bagé, RS

Claudio Antunes Boucinha
23/12/2008

  • 0 comentários
  • 484 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados
  • Tags: