Site de Poesias

Menu

Eu e o Riacho

[Ilustração não carregada]

Nasce a água da terra, limpa cristalina
Nasce no topo da serra, pura e alcalina
Desce sua ladeira
Vai crescendo
Arrastando
Quebrando
Não teme os obstáculos e vai
Passa sobre tudo e cresce
Fica grande, não tem medo
Esquece o topo da serra
Aquela que tinha gosto de terra
Terra pura, terra limpa em meio ao arvoredo.
Aumenta a velocidade, corre e vai descendo
Agora tens gosto de lixo, sujo e contaminado
Tu és grande, percebemos ao te olhar.
Achas que pode, mas não pode!
Outro maior vai te derrotar

Somos como essa nascente
Nascemos com uma missão
Crescemos e misturamos à tanta gente
Gente boa e também sem coração.

Tantos dejetos,
Tantos venenos,
Tantos desafetos,
Não crescemos,
Nós inchamos,
E somos ainda mais pequenos.

Gostaria de ainda estar na serra,
sentindo o gosto da terra,
sem me preocupar com meus ais
Hoje só vejo guerra,
A gente muito mais erra,
Ao tentar encontrar a Paz.

O riacho vai encontrar o que merece
Quando a ladeira terminar,
Aos poucos ele desaparece.
Será engolido pelo Mar.

Compartilhar

Ao ver uma nascente e tomar de sua água, refleti, onde essa água irá?
Por favor deixe seu recado e vamos refletir juntos

Obrigado pela visita, beijos em seu coração.

"Adilson Costa"
21/10/2008