Site de Poesias

Menu

Emanuel

-Ó, profundidade do amor divino!
Mesmo sendo Príncipe, sendo Deus,
Rei da Santidade, Senhor dos Céus,
Deixa as ruas d'ouro e Se faz Menino.

Luz do Firmamento, Fulgor da Aurora,
Troca o brilho eterno que o Céu contém
Pela escuridão do lar de Belém,
Sob a luz da Lua, na manjedoura.

Pai da Eternidade, é o Autor da Vida;
Filho de Davi, Filho de Maria,
Antevendo a cruz e a ressurreição,
Cumpre o bebezinho o divino plano.
Cantam anjos mil glória ao Deus-humano:
-Ó, milagre imenso da encarnação!

Compartilhar

"Tende em vós aquele sentimento que houve também em Cristo Jesus, o Qual, subsistindo em forma de Deus, não considerou por usurpação o ser igual a Deus, antes esvaziou-Se a Si Mesmo, tomando a forma de servo, tornando-Se semelhante aos homens; e, achado na forma de homem, humilhou-Se a Si Mesmo, tornando-Se obediente até a morte, e morte de cruz."

Assista a narração:
http://www.youtube.com/wa... Filipenses 2:5-8

Ederson Peka
22/12/2006