Site de Poesias

Menu

Tabuleiro das quimeras...

Dentro das esperas às horas do momento me estou já de partida desde, as esperanças no consolo da solidão, à quimeras deste tabuleiro de vivências, de silêncios na ilusória felicidade do vazio!

Não vou dizer-te adeus...ainda que não queira
triste partirei, mas sem um adeus, sem nada falar-te...jamais poderei esquecer-te, tão pouco às nossas noites de magia!
Nem simplesmente enterrar à o tempo nossas doces fantasias... na sublime quimera do possuir...
Jogamos na partida da vida, as peças do haver, do sentir, do estar e possuir...

Na estratégia do mundo, jogamos à sorte deste amor traiçoeiro, que nos fere, nos destroça aos sentidos ..nos apunhala mas, não nos mata... e qual mirantes templários murmurantes na espera do passar das peças...

Onde nas horas, minuto à pós segundo nos vem em horas, onde, cada peça, uma à uma vão-se, na partida do destino `ao tabuleiro do tempo... de onde contemplamos o amor, sem se quer jamais toca-lo, sem nem se quer, poder domina-lo...

Jogamos no momento em que eu, já me estava de partida... quando tu ainda, somente chegavas...
e nem se quer nos demos conta de que o tempo já
se adiantava; ao jogo que já seguia à seu andar no curso do destino rumo ao ocaso, no tempo da vida...

Enquanto nos movemos vagarosamente, qual pião rastreador das trilhas desbravadoras aos caminhos do encontrar... nas casas do sentir... qual o bispo em suas diagonais, desesperante a defesa do querer...à torre corrediça na reta de suas paralelas, à estrada do percorre do buscar!

Quando a rainha já cansada anda passo à passo e já não pode correr... deixando seu cavalo à deriva aos labirintos do passar... sem poder mais dar-se à chegada aos braços do seu amado rei...

Assim é pois este jogo da vida onde, hora me encontro, onde hora espero, ao mover-se das peças ao destino que busca em cada passo o desenrolar do jogo até o surpreender da vitoria à derrota do sucumbir... no termino fatal! ao xeque-mate neste tabuleiro das quimeras, de um tempo final!...

Compartilhar

Ao conteplar do tempo..às passagens da vida como se
fossemos o representar diante de um palco que se chama vida,qual peças de um jogo ...... à beira mar..andando..10 11 06

Sonia Aly Salem
17/11/2006