Site de Poesias

Menu

Soneto Gisele


Em uma data assaz especial,
Gema um ínfimo alegre lume.
Arde num orbe individual
E chega ao fulgente lindo cume.
 
Decompõe versos cabais em harmonia
Nos flamejantes ardores da vida,
Sempre tão majestosa em simonia
Nas catedrais do amor envolvida.
 
No ruir da noite ela voa ao céu
Se trama as estrelas num amplexo
E então se desponta sem o véu,
 
Fascinante e feliz, sem vexo.
Pergunto seu nome e ela impele
Aquele nobre lume, sou Gisele.

Compartilhar
Daniel Ramos
14/04/2018