Site de Poesias

Menu

O Longo Dia das Bruxas

Parece infinito, interminável. É como um labirinto

Escuro e pegajoso onde impera o horror.

É uma terra, um lugar onde há apatia e torpor

E onde seres bizarros bebem sangue como vinho tinto.

 

Ouço gargalhadas as quais sufocam o som da esperança.

Tudo corrompido neste 'Halloween' eterno!

Escancararam as portas das casas e introduziram o inferno

Em todos os cantos e conduziram a sinistra dança:

 

Onde alguns estavam vestidos a rigor para o baile,

Enquanto a maioria dos outros, o resto, estava em trapos.

Ditavam-se as bruxarias e condenavam-nos aos farrapos.

Cegavam-nos e amputavam-nos as mãos para cessar o braile!

 

Não havia caminho neste dia macabro, não havia trilha.

Alguns pensaram em fugir, outros ansiaram o suicídio;

Tantos além perderam tudo: disposição e lipídio.

Que pesadelo é este que obscurece tudo o que brilha!?

 

Prestem atenção, pois revelarei o que é assim tão vil:

O que compõe este terrível e longo Dia das Bruxas,

É a política nacional a esburacar o país feito as garruchas;

E os políticos corruptos que aterrorizam o Brasil!

Compartilhar
Thiago da Silva Carbone
31/10/2017