Site de Poesias

Menu

PERDI O TREM DA VIDA

Perdi o trem da vida,
Aquele trem que eu havia de embarcar.
Nunca tomei uma atitude atrevida,
Não corri atrás de nada, não soube lutar.
 
Estou passando pela vida sem um horizonte,
Catando as migalhas caídas da mesa,
Ultrapassando planícies, escalando montes
Carregando nas costas a cruz da incerteza
 
E assim passo meus dias num arremedo,
Um arremedo de meditação!
Então sou tomado por inevitável medo
E me indago; será que terei salvação?
 
Na pantomina que é viver,
Faço o papel de um palhaço sem graça
E personagem melhor não poderia ter
Aquele que não tem brio e nem raça.
 
O tempo não me disse vá enfrente
Que viver é lutar se queres ser cidadão.
Fuja da inércia, rebente as correntes,
E no horário do trem, esteja na estação!

 
 

Compartilhar

Perder o trem da vida é abrir mão de oportunidade,não se dorme quando nele queremos viajar. Manter-se desperto e atento para não o perdermos num cochilo. Em casa preparando minha última viajem.

ubirajara Fernandes
14/09/2017