Site de Poesias

Menu

ALÉM DO INFINITO

ALÉM DO INFINITO

Segue inclemente a voz muda da sua mente
Qual ponto da correnteza reteve a natureza?
Da energia imanente nada resta permanente
Não existe beleza aonde não se tem certeza

O homem erudito pesa a maldição do conflito
Acredita na ciência e toda sua consequência
O homem restrito resolve seu conflito no grito
Se vale da aparência rejeitando a experiência

Fronteira do infinito... linha racional do inaudito
Só se sabe pelo escrito ou pelo sacro bendito
Território onde o nada construiu eterna morada

Na fé do manuscrito ou no estudo do meteorito
O mistério circunscrito, motivo do homem aflito
Da longa jornada, seria nela o final da estrada?

Marco Antônio Abreu Florentino

https://youtu.be/9etefsYMm5o
(2001 - Uma Odisséia no Espaço)

Compartilhar
Marco Antônio Abreu Florentino
30/08/2017