Site de Poesias

Menu

A Avó de um Grande Amigo

Dona Maria.

Senhora da roça.

Véia matuta...

"Véia matuta"?

Desculpem, porque matuto sou eu.

Tive instrução, ela não;

Mas o gênio era ela:

Com conhecimentos rústicos e místicos

Que eu jamais soube ou saberei.

Ela sabia qual erva era boa para chá

E ouso dizer que faria remédios com esterco

E ouro de pedrilhos.

Eu, não...

Sua humildade ensinava mais que os professores.

Sua comida era melhor que a dos restaurantes.

E, olha! Acho que ela nem sabia ler!

É ou não é uma prodígio?

Sei lá, acho que quando chegou sua hora,

Deve ter dado um longo suspiro e pensado:

"Vorto de onde vim..."

E se eu acreditasse no além vida

E me encontrasse novamente com ela em meio ao universo,

Diria assim:

"Ué, minha velha: sua família a espera!

O que está a fazer aí?"

E ela diria:

"Contando as estrelas, fio..."

E eu perguntaria:

"Não são infinitas, Dona Maria?"

E ela responderia (com imensa sabedoria):

"Óia só..."

Compartilhar
Thiago da Silva Carbone
21/07/2017