Site de Poesias

Menu

ARROUBADAS (ELEGIA)...

[Ilustração não carregada]



Arroubadas (Elegia) 
E vós mães, escravas, aos vossos lares voltarão!
Sereis, de novo, as Amélias destronadas de direitos.
Voz? Pra que ter voz? Sois nada! Talvez invólucros da parição...
Objetos de abjetos seres másculos de prevaricação e vergonha.
Quereis tanga? Suplicai!
Quereis trago? Abdiqueis da dignidade.
Quereis trato?  Que tal com os demônios?
Que tal com
vossos consortes sujos da ineficiência como provedores?
Abri as tíbias e deixai que
vos penetrem lânguidos!
Ouvi! Moucas... Sois nada menos que iguais em procela!
Sois da mesma monta que os que montam vossos lombos!
Calais por quê? O fascismo
vos impôs mordaça assim tão fácil?
Vintage
é lindo quando não retira de vós a humanidade, néscias!
Amigas minhas na existência, que será das novas prenhes?
E gargalham vis demônios nos palácios...
E ressente a triste terra do Brasil....

 
Ronaldo
Rhusso (CLT Art. 394ª)

Compartilhar

A mudança no Art. 394A é crime tão grave que vai induzir abortos... Tel Aviv

RONALDO RHUSSO
17/07/2017

  • 2 comentários
  • 433 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados