Site de Poesias

Menu

SONETO DO FIM

SONETO DO FIM

No princípio era o vazio e o vazio criou forma
Nas trevas o intenso frio, nada se transforma
O espírito com seu calor gerou a humana luz
E apesar de tanta dor, quis carregar sua cruz

Nascer, crescer e sofrer, fazer melhor história
Tudo para transcender e guardar na memória
Sem amor à religião espera justa recompensa
Entre a razão e emoção revela paixão intensa

Do tempo que expirou, nada mais se recupera
Da existência que passou...agora tudo espera
O pensar não percebe que a vontade putrefaz

Sentimento que não mudou, essencial quimera
Sofrimento que já bastou aguarda a primavera
E no fim, o amor que se recebe é o que se faz

Marco Antônio Abreu Florentino

Inspirado na última canção composta pelos Beatles - The End, constante na última faixa do álbum Abbey Road, uma das obras primas da banda, que foi também o último trabalho deles enquanto conjunto musical. A derradeira frase da canção: ¨...E no final, o amor que você recebe é igual ao amor que você faz¨, é uma mensagem de profunda reflexão sobre o comportamento ético e de vida do homem e suas relações com o mundo.

https://youtu.be/1AN7S7n8VdM
(The End - The Beatles)

Compartilhar
Marco Antônio Abreu Florentino
08/07/2017