Site de Poesias

Menu

olha eu

meu universo 

tem muitos versos

e estrofes

e linhas rabiscadas...

 

sou meio retilíneo,

diagonal

da terra;

sou o sal.

 

o sol da meia noite

sou seu pai,

seu irmão

filho do trovão...

o cravo na palma de sua mão.

 

sei que sou que vem do bem

digo amém,... 

quando alguém 

se curva 

ao meu viés..

 

és de ter um futuro

no seu passado

sou o seu sonho acordado.

 

acordo totos os dias com você

desde cedo,

sei seu querer...

de segunda a segunda

a calma a alma

a água que não afunda

se aurora ao anoitecer

sigo

ando 

com você.

 

vejo tudo diferente

um museu de gente

ainda sou seu guia 

além dsta trecnologia

que hoje até te desvia

do foco da meu mundo

 

posso ser pra vocè o tudo e o nada

mas profundo inacabado

posso ser um filho abandonado

faço a prece

quando a mea do filho se esquece.

 

nem padece

e comigo vocè crersce 

sem ser uma pedra polida 

inacabada 

sua estrada empoeirada 

es chegada 

na minha pousada.

 

sou a poeira, mao lavada

louvada

onde ria das aguas cristalinas 

acalma te a sede

 

tenho sede de justiça 

dos ceus de seus olhos 

olho por olho serei pra você 

se desobedecer

 

o que deixei escrito

sou o grito do aflito

a barreira do infinito

 

sua casa sua faília

irma 

pai filha 

filhas ...

 

ainda serei 

como a neve 

como sois 

em teus sonhos 

 

a cura da ferida mais doida

da tua dor fço amor

 

amo cada grão de areia 

que espalhei

amo como jamais amei

o preto 

o pobre o amerelo

o lindo feio belo

 

sou seu amor 

sua alma nao tem cor 

tem valor 

tem inilateral

sou o bem sobre o mal

 

 

 

Compartilhar
JÂNIO MOREIRA
31/05/2017

  • 1 comentário
  • 14 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados
  • Tags: