Site de Poesias

Menu

Te amo, te amo, te amo

 

 

Minha alma sofre, mas canta

Meu coração se agiganta

E eu não perco a esperança...

Meu grito voa, ecoa e paralisa no ar

 

Pois sem você eu não durmo

No meu rompante noturno

Passo a me ver taciturno

Nesse desejo de amar

 

A minha boca tem sede

Na minha cama que arde

Nos meus sonhos, tempestade

Que me convence a lutar

 

Brigo comigo e desperto

Não sei se vou longe ou perto

Mas o que vale, por certo

É eu poder lhe encontrar

 

E com você partirei

E pra você eu direi

Te amo, te amo, te amo

 

 

Silvestre Sobrinho

Compartilhar
Silvestre Sobrinho
17/04/2017

  • 0 comentários
  • 110 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados