Site de Poesias

Menu

AS COISAS MUDAM

 
 
Inda ontem você me agarrou e  seu abraço estreito   
Sufocava como se fora  eu a única tabua de salvação
Resto de um  naufrágio em qualquer dos mares e oceanos
Pequenos   sonhos   dividi para aliviar  teus pesadelos
Fantasiando  me alijou dos  teus brilhantes    planos
 
O tempo te deu  asas e dai  descobriu que podia voar
Abandonou o úmido madeiro no qual ficou a tona
Roubou espaços, devorou distancias, pensa que viveu
Esqueceu  perdas e danos que se acumularam
Na simbiose doida estabelecida entre você e eu
 
Eis-me aqui preso à convicção de que não foi um sonho
Procurando a cada dia um motivo valido para continuar
Sem o sorriso fácil,  fantasias futuras, um espelho do nada
Se no futuro tuas asas falharem regresse a velha tabua
Volte para mim, infelizes seremos até  o fim da jornada
 
Voce com grandiosos  sonhos desfeitos
Eu com enormes decepções realizadas
 

 
 

Compartilhar
BUENO
05/01/2017

  • 0 comentários
  • 60 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados