Site de Poesias

Menu

CLAUSURA


Ah se eu tivesse alguns anos menos
Tivesse ela alguns anos mais
Aquele olhar; aquele tiro certo
Deixaria no vazio jamais

Aquele olhar eu evito cauto
Quando me fita a linda donzela
Agora é tarde pra lhe falar de amor.
Quanta meiguice! Que beleza aquela!

Somente agora me acende a chama
E me obriga amar em segredo
Ai vida louca que me acabo louco
Se de amá-la não perder o medo

É medo sim, pois já vivi de tudo
Sei do horror da solidão atroz
Das horas mortas e infinitas noites
Quando a um amor é negada voz

Mortas noites de tortura e dor
A matutar o impossível anseio
Chego a lançar no vadio vento
A poesia deste meu enleio

Quem sabe o vento aos ouvidos dela
Nem que seja um versinho apenas
Faça chegar de manso numa noite
E me redima da maldita pena

Se todo amante do amar fugir
Ceder ao fado que a vida impõe
O que será do amor mais puro
A que estão sujeito os nossos corações?

Não poderá se chamar amor
Nem é amar o malogrado feito
Negar a si o próprio sentimento
E deixar a dor trancada no peito

 
 

Compartilhar

Visitem-me também em meu site pessoal:

www.sergionespoli.recantodasletras.com.br

Grato!!!

sergio néspoli
26/11/2016