Site de Poesias

Menu

Circo de Horrores

Sentamos para assistir espetáculos, ansiosos.

Rimos das peripécias dos palhaços, impressionados pela magia

Do show, sequer piscamos e as cismas desaparecem...

E eis que estamos com o espírito mais leve

Após assistirmos os atos do picadeiro.

 

Continuamos a labuta diária sem nunca percebermos,

Que há algo errado no cotidiano...

Comemos e bebemos, mas nunca resta nada ao prazer...

Viajamos a pé da casa ao trabalho e vice versa,

Enquanto outros estão no mundo da lua.

Mas se possível, quero esquecer tudo novamente

Indo ao circo para me animar um pouco:

 

Lá, verei palhaços desfigurados e gastarei meu dinheiro.

Lá, não acharei graça, mas não piscarei, certamente.

Lá, serei iludido, manipulado pelo mágico...

Lá, sentarei na arquibancada, junto à plateia

E sorrirei um sorriso amarelo...

 

Afinal o dia a dia é que é um circo de horrores.

 

Compartilhar
Thiago da Silva Carbone
13/11/2016