Site de Poesias

Menu

NAVE ESPACIAL

Desprezar o passado na busca do futuro,
Não é sábia maneira de se agir.
Olhar para trás e ver tudo sem definição, obscuro,
Não saber quem foi e do futuro o que poderá surgir,
Estará criada a incógnita, donde surgirão dogmas,
Para os quais, aparecerão doutos aptos a explicá-los,
Das mais variadas, complicadas e vazias formas,
Afirmando que a tais problemas, só eles podem resolvê-los.
 
Indescritível a estupidez humana e sua insensatez,
Tomados de uma superioridade à qual se julgam possuir,
Agem como se donos fossem e até o criador talvez,
Fazendo loucuras na busca do futuro, levando à natureza a se protistuir.
Este mundo não é nosso, somos passageiros ou tripulantes,
Desta grande nave espacial que através dos tempos suporta os desmandos,
Dos inconseqüentes que nela habitam um bando de bárbaros e ignorantes,
Que juram fidelidade ao Comandante, mas não obedecem a seu comando.
 
Em quem Ele confiou para que nela embarcassem,
Não correspondem à sua confiança,
Poucos terão valores pára que honrarias merecessem,
Ele confiou, por isso não os pesou em sua balança.
Quando se olha para o passado, vemos os erros e acertos.
E também que há tempo suficiente para os erros corrigir,
Se mantivermos nosso passado atuante e desperto,
No futuro saberemos com certeza para onde devemos ir. 
 
O que ontem vivi faz parte de mim.
O que estou vivendo é e será parte do acervo
O passado não é uma história de princípio e fim
É meu espírito é o que eu digo e o que escrevo.
O que eu deixar escrito permanecerá no livro da memória,
Será, portanto imortal, eterno se assim quiserem dizer.
Alteram-se conteúdos, mas continuará à história,
Mas de quem escreveu ou contou à história, como esquecer!
 
 
 

 
 

Compartilhar

O futuro é a esperança maior da humanidade,mas, o será?
Estamos nós no caminho certo para sermos felizes?
Podemos olvidarmos o passado? Pensativo!

ubirajara Fernandes
21/08/2016