Site de Poesias

Menu

Tablado de barbante

Eu aqui me sinto, amiúde,
No físico, espírito, alma e coração,
Andorinha desgarrada do verão,

Flamingo alheio ao semelhante,
Corda quebrada de violão,

Bailarino em tablado de barbante,
Tulipas floridas em olho de vulcão,

Formiga perdida sob patas de elefante.
E nos meus olhos de infante,
A avidez arregalada em bolas de gude.

Compartilhar
Cid Rodrigues Rubelita
17/06/2016