Site de Poesias

Menu

SAUDADE

 

 

 

A BRISA TROUXE

TEU CHEIRO

PRECIPTEI-ME

AO PORTÃO

ENLACEI-ME

EM TEU PESCOÇO

OUVI 

TUA PULSAÇÃO

ROCEI TUA PELE

QUENTE

TEUS LÁBIOS

SABOREEI

"CÁ ESTOU"

DISSE SORRINDO

TEU NOME

PRONUNCIEI

SUSSURROU-ME

AO OUVIDO

PALAVRAS A MIM

NUNCA DITAS

TOCARAM LEVES

TUAS MÃOS

MINHA PELE

ENVELHECIDA

JUVENTUDE

BROTA NO PEITO

MÃOS DADAS

À BEIRA DO MAR

OUVIMOS DAS ONDAS

CANTIGAS

DESTINADAS

AO LUAR

EIS PORÉM

OH ! DESENGANO

DESENLAÇADAS

AS MÃOS

INSANA

REALIDADE

ESPREITAVA

NO PORTÃO

VENTO FORTE

ARRASTA A BRISA

CORPO GÉLIDO

TORPOR

SÓS FICAMOS

SAUDADE...EU...

E O QUE RESTOU

DO NOSSO AMOR 

Compartilhar
Maria Isabel Sartorio Santos
05/06/2016

  • 2 comentários
  • 99 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados