Site de Poesias

Menu

QUANDO EM VEZ ME TORNO INCONVENIENTE

Quando em vez me torno inconveniente,
Faço-o e não percebo,
E se assim acontece é involuntariamente
 
Se firo sensibilidades não levo tal intenção
Pode até acontecer,
E à palmatoria estendo minhas mãos.
 
Lamentável é deixar-se levar pela euforia
E daí um erro grave, porém não intencional
Que fere mais a mim tirando-me a alegria
 
Sou primário e sinto muito, se mal eu fiz,
Obrigado pele puxão de orelha,
Porque eu feri-lo se tal ato me faria infeliz!
 
Reconheço que sou um velho senil
E exposto a falar do sol, pensando na lua.
Não se guarda água num velho barril,
Mas aos trancos e barranco a vida continua.
 
 
 
 
 
 
 
 

 
 

Compartilhar

Na ânsia de agradar incorre-se em erros que vão ferir sensibilidades, e, não é essa a intenção,.e sim ao contrário pode-se
errar-se na interpretação conteúdo ou na falta de compreensão do texto. Em casa pedindo perdão por minhas culpas,

ubirajara Fernandes
11/04/2016