Site de Poesias

Menu

Fora de alcance...

O céu está brilhante e estrelado

a brisa da noite inunda minha respiração

o coração está acomodado

minha sombra cativa a solidão...

Tento buscar respostas

estão fora de alcance

solidão é como o vento

uma incognita 

não tenho a menor chance...

meu coração tenta sorrir

mas só consegue chorar

tento me permitir

não dá

só quer chorar...

tento imaginar a imagem do teu sorriso

mas não consigo

está fora de alcance

não me permito

não tenho a menor chance...

a noite não brilha mais

as estrelas se encondem

até o vento se foi

a solidão permanece

não tenho a menor chance...

Estou sozinho

estou em uma batalha constante

luto com o meu imaginário

não tenho a menor chance

se eu me entendo?

fora de alcance...

 

Compartilhar
Eduardo Vieira
07/11/2015

  • 4 comentários
  • 217 visualizações neste mês
  • sob licença creative commons
    Você pode distribuir este poema, desde que:
    • Atribua créditos ao seu autor
    • Não use-o comercialmente
    • Distribua-o sob essa mesma licença