Site de Poesias

Menu

MEU DIA DE AUGUSTO DOS ANJOS

Um dia partirei e, como nada querendo, a natureza,
me reterá no seu mais terno e também mais apertado abraço.
Fosforo, cálcio, ferro e outros elementos que compõem minha estrutura
a Ela serão devolvidos,  à  proprietária total do meu corpo físico
Estender-me-ão horizontalmente,  apenas um resto demudado .
Minha voz não mais vos alcançará e meus olhos cerrados
não mais fitarão os vossos olhos
 
Pássaros cantarão, aguas murmurarão nas corredeiras, preces subirão
Aqui não estarei para, nessa confusão  de cantos,  sussurros, vozes,
cantochões, quedar-me mudo, maravilhado, em êxtase, para ouvi-los.
Os dias irão passar aceleradamente, a poeira varrida pela brisa subirá
Meu nome nada mais será que uma lembrança perdida numa lapide
Ninguém me chamará para tentar despertar-me daquele sono lúgubre
Algumas fotos minhas, amareladas, dormirão numa gaveta alhures.
 
Ninguem dirá ou poderá dizer a outrem que amou-me ou odiou-me
Daqui ausente não darei razão a quem quer que seja, ou desmenti-lo
 Serei tão só apenas a sombra fugidia que passou sem impressões deixar
Nem o mais poderoso que aqui vive poderá fazer algo por mim
O eco das canções que um dia cantei se perderá e meu rastro
apagar-se-á totalmente dos caminhos que um dia percorri   
Que fazer, Divino Criador, que fazer para que o coração que um dia
tanto sonhou, tanto amou, volte, num supremo esforço a palpitar?
 
Que adiantará então a minha volta? Um fantasma assombra sempre
aqueles que amou e,  assim penso, que continua amando
Não voltarei jamais, não deixarei que vejam aquilo que já fui
apenas um espectro, ectoplasma que do pó  veio a luz do dia
e a noite voltou. Aqueles pensamentos que numa mente inquieta
antes bailavam estarão sepultados, não mais construirão
as maravilhas por mim sonhadas e os terrores noturnos
estarão perdidos neste sono que eu dormir um dia
 
Alguem apanhará uma flor e aspirará o perfume que dela emana
Um simples pássaro far-se-á ouvir na tarde que se vai
Uma super nova explodirá, transformando-se em poeira cósmica
O sol, entre duas nuvens, dará um colorido especial ao ceu azul
Virá a lua cheia e emprestará sua luz ao noturno caminhante
Uma canção de amor, o uivo de um cão, a cantiga de um grilo
Atravessarão a noite e eu
Em todas essa coisa estarei.........................................................
.............................................No mais apertado abraço com o qual a
Natureza, um dia, me fez possível.

 
 

Compartilhar
BUENO
22/01/2015

  • 5 comentários
  • 186 visualizações neste mês
  • © Todos os direitos reservados