Site de Poesias

Menu

TÚNEL DO TEMPO - MINHA INFÂNIA

[Ilustração não carregada]

 TÚNEL DO TEMPO - MINHA INFÂNCIA

( Auto - retrato )

 

A cidade crescia.    

Na rua… na esquina  

a menina traquina   

corria… com energia.  

 

 

Na bexiga com tinta 

a bexiga rompeu …

Chi …Sujou… não, molhou 

Molhou o pé do judeu, 

(lembrei da “cinta” do pai ),  

enquanto meu pai ria,  

corri corri corri 

 

 “Tomara que chova

dez dias sem parar”

 

Para o meu azar             

vejo a dona Elova,

a vassoura na mão,  

Era pra me ferrar ? 

Então cantei a canção

“A vassoura é do Jânio   

pra limpar a corrupção”...

corri corri corri 

 

 

Fui pra confeitaria,

A Saborosa do Ivo

Surge então  “Tatuzinho”,

fiz minha cantoria: 

“Tatuzinho, abre a garrafa,

 e me dá um pouquinho”

Ele me intimidou

“Vou te fazer picadinho” !

corri corri corri 

 

Na casa da tia Inês,

Pega – pega , cobra – cega

e amarelinha

Marly, Magaly e Evinha

Carlos, Sandra e Soninha.

 

 “1 2 3 4 5 ....trinta.

Pronto! Lá vem o Juninho”...       

Esconde - esconde

Cadê o Paulo,  Zé ?

Logo aparece a Fátima

Chicotinho queimado

Morto vivo… Dez horas! 

 

meu dia nunca termina,

na  vida de menina,

 

que não tinha rotina.

 
 
 
                  
Madalena
fevereiro, 2008.
 
 * Os nomes não são fictícios.
 

Compartilhar
Madalena
29/10/2014